Contato
(66) 3532-1348 (66) 3532-3272
Localização
rua dos amapás nº 79 centro
Expediente
Seg - Sex: 08:00 - 17:00 Sáb: 08:00 - 11:00
kg
cm

CIRURGIA VÍDEOLAPAROSCÓPICA

Veja abaixo.

CIRURGIA VÍDEOLAPAROSCÓPICA

Laparoscopia significa olhar (scopia) o abdômen (laparo). Se trabalha insuflando gás no abdome (pneumoperitônio), para se ter espaço para a visualização e realização da cirurgia. E para introduzir o pequeno equipamento, que nos leva a olhar para o foco da cirurgia, basta um pequeno orifício na parede abdominal. (um tubo de 50 cm tão fino quanto uma caneta comum). Um simples “olhar” orienta o raciocínio e pode alterar completamente o rumo do tratamento. Por isso a Videolaparoscopia oferece um diagnóstico preciso e seguro. O abdômen é tido como uma “caixinha de surpresas” devido à grande variedade de doenças que se manifestam através dos mesmos sintomas. Às vezes o atraso em fazer o diagnóstico específico pode implicar em complicações graves, como a peritonite. Por esses motivos a laparoscopia se fez muito necessária. A primeira laparoscopia foi realizada na Europa, em 1905, utilizando-se um jogo de lupas, espelhos e luz de vela, através de um orifício de 1 cm no abdômen. Nesses últimos 100 anos a laparoscopia desenvolveu-se muito. Hoje, é instalado um trocater de 5 mm de raio (geralmente na cicatriz umbilical) e através dele introduzido uma ótica que, ao mesmo tempo ilumina o abdômen e filma o que assistimos ao vivo em um monitor de alta definição. Assim podemos assistir toda a região abdominal como o fígado, estômago, baço, vesícula biliar, intestinos, apêndice, útero, ovários, hérnias, etc. O passo seguinte foi o desenvolvimento de técnicas que permitissem realizar cirurgias por Videolaparoscopia (e não apenas olhar o abdômen). Assim, através de pequenos túneis auxiliares, podemos introduzir instrumentos longos e finos que permitem segurar, cortar, cauterizar, costurar, retirar estruturas, etc. Assim, rotineiramente, realizamos cirurgias de colecistectomias, apendicectomias, herniorrafias hiatal, inguinais e incisionais, gastroplastias ( cirurgia da obesidade ), cirurgias oncológicas, entre outras, tudo por VÍDEOLAPAROSCOPIA. Alguns fatores podem dificultar a realização da cirurgia por videolaparoscopia, como cirurgias anteriores e aderências, grandes hérnias nos locais de passagem dos canais dos instrumentos, e intolerância ao pneumoperitônio por doença respiratória ou cardiovascular